Mário Sá: “O grande desafio é o de inspirar as pessoas”

Edição: 
Nº 50

Mário Sá: “O grande desafio é o de inspirar as pessoas”

Gerente regional da Sotreq em Goiânia se destaca na Academia de Líderes

 

O cargo de gerente é desafiante, mas também é compensador, principalmente quando quem o ocupa é um grande incentivador dos colaboradores a ele subordinados. É com esta filosofia que Mário Sá, Gerente Regional Centro-Oeste da Sotreq em Goiânia, exerce sua função. Está sempre em busca de aprendizado e é um dos destaques na Academia de Líderes.

A trajetória de Mário no Grupo Sotreq já dura 36 anos. Parte dessa história você confere na entrevista abaixo. Ele é o “Personagem ELO” deste mês e compartilha também alguns aspectos de sua vida pessoal, como seu interesse pela História da Humanidade. Confira!

 

ELO  - Qual é a sua terra natal e onde mora hoje?
Mário
- Eu nasci em Belo Horizonte e hoje moro em Goiânia.

 

ELO - Qual é a sua formação e onde se formou?

Mário - Sou Engenheiro Mecânico e me formei na PUC-MG, em Belo Horizonte.

 

ELO - Quando e como foi seu ingresso no Grupo Sotreq? Qual foi a sua trajetória na empresa até chegar ao cargo que ocupa hoje, de gerente regional? 

Mário - Ingressei na Sotreq filial de Belo Horizonte (na Pampulha) em maio de 1984, na retomada do Programa de Trainees daquela época na Sotreq. Lá fui Representante de Suporte ao Produto e Supervisor de Treinamento. Em 1990, fui transferido para a filial Uberlândia como Gerente de Serviços, depois promovido para Gerente de Suporte ao Produto, com a Reengenharia para Executivo de Contas e, finalmente, para Gerente da Filial. Em 2000, vim para a filial Goiânia como Gerente de Vendas de Máquinas. Em 2003, trabalhei no Rio de Janeiro, no projeto DBSi. Retornei para Goiânia em 2004 como Gerente de Suporte ao Produto. Depois passei a Gerente da Filial e, por fim, Gerente Regional em 2008.

 

ELO - Qual é o principal desafio em um cargo de grande responsabilidade como este e como exercê-lo bem? 

Mário - O grande desafio é o de inspirar as pessoas a fazerem seu trabalho com compromisso, motivação e assertividade.

 

ELO - Você é destaque nos cursos e treinamentos da Academia de Líderes, inclusive incentivando outros colaboradores a fazê-los. Que peso você atribui ao conhecimento/aprendizagem no sucesso da carreira? 

Mário - Os treinamentos da Academia de Líderes são mais um excelente exemplo de como podemos renovar conhecimentos e evoluir ao longo da carreira, suportados por uma base sólida e métodos eficazes de aprendizagem.

 

ELO - Você se imagina ou já se viu em outra profissão? Qual? 

Mário - Minha formação em Engenharia sempre foi nata e não me vejo em outra profissão. Mas sempre gostei e me interessei pela história da humanidade e, talvez, pudesse ter sido um professor de História.

 

ELO - Como é o Mário quando não está trabalhando? Como gosta de ocupar seu tempo livre? 

Mário - Sou uma pessoa muito caseira, que gosta de ficar em casa com a família. Meu grande hobby nos últimos 13 anos é a corrida de rua. Já participei de corridas em várias cidades do Brasil e no exterior, inclusive maratonas. Ainda continuo correndo, mas a frequência e o ritmo diminuíram um pouco.

 

ELO - Tem algum livro ou filme inesquecível? Por que ele te marcou? 

Mário - Costumo falar que 3 livros mudaram a minha vida financeira: Pai Rico Pai Pobre, do Robert Kiyosaki; Casais Inteligente Enriquecem Juntos, do Gustavo Cerbasi; e O Homem Mais Rico da Babilônia, de George Clason. Eles me ajudaram a ter visão de futuro e a lidar com o dinheiro.

 

ELO - Na sua cozinha, no fogão ou na geladeira, o que não pode faltar?

Mário - De fato mesmo, só sei fazer um prato (que os amigos elogiam e gostam muito), que é a moqueca baiana, que aprendi a fazer com a minha sogra há vários anos e que sempre pratico.

 

ELO - Sua viagem dos sonhos já aconteceu ou ainda está nos planos? Seria para onde? 

Mário - As minhas viagens com a família sempre foram boas, mas a próxima, com certeza, será a melhor (não importando o lugar).

 

ELO - O mundo seria melhor se...

Mário - ...tivéssemos mais compreensão uns com os outros. Estamos vivendo tempos de extremo pragmatismo e muita intolerância; precisamos suavizar isto.

 

GRUPO SOTREQ