Grupo Sotreq apoia e investe no programa Jovem Aprendiz

Edição: 
Nº 41

Grupo Sotreq apoia e investe no programa Jovem Aprendiz

Filial Contagem recebeu um grupo de 23 garotos e garotas para visita guiada de acolhimento e reconhecimento para o trabalho que se inicia em 2020

 

“Não acredito que vou trabalhar aqui”. “Estou muito feliz”. “Já quero começar logo”. “Esse lugar é muito grande”. Os comentários, pinçados do grupo de 23 participantes do programa Jovem Aprendiz durante visita guiada na Filial Contagem da Sotreq, atestam o encantamento de quem recebe a primeira oportunidade de começar na vida profissional. O Grupo Sotreq faz sua parte e atualmente recebe 178 garotos e garotas entre 14 e 24 anos em suas unidades espalhadas pelo Brasil para formação técnico-profissional, com o objetivo de inseri-los no mercado de trabalho. O programa existe há mais de dez anos na empresa.

A visita marcou a integração da nova turma de aprendizes da filial de Contagem, em Minas Gerais, e foi realizada no final de 2019. “Era notória a empolgação dos jovens para começar. Durante a ambientação, fizeram muitas perguntas e tiraram as dúvidas. E no decorrer da visita, demonstraram interesse pelas áreas da empresa e ficaram surpresos com o tamanho da nossa estrutura”, conta a analista de seleção Nayara Pereira, sem esconder a satisfação com a reação dos jovens frente a um desafiador e, ao mesmo tempo, promissor momento de suas vidas.

A ambientação para os aprendizes foi elaborada a partir da ideia de proporcionar um maior conhecimento sobre a empresa. “A visita aconteceu com o intuito de apresentar a Sotreq aos jovens, para que eles se sentissem acolhidos e confortáveis com a dimensão da filial Contagem, onde passarão a atuar, além de não ficarem confusos quando alguém solicitar algo ou perguntar sobre alguma área”, explica Nayara.

A mecânica da atividade foi elaborada para ser uma experiência inesquecível. Todos foram recebidos pela equipe de Recrutamento e Seleção (R&S). Para começar, receberam o treinamento de segurança, a fim de entender a forma de locomoção dentro da empresa. Na sequência, Nayara Pereira fez uma apresentação sobre a Sotreq e sobre o programa Jovem Aprendiz. Depois, o gestor Francisco Santos, coordenador administrativo da filial Contagem, deu as boas-vindas ao grupo e falou sobre as expectativas em relação ao trabalho.

“Os jovens tiveram acesso aos valores da empresa, conhecimento sobre o Grupo Sotreq, sua atuação, benefícios e orientação para ser um profissional de sucesso”, relata a analista de seleção. Após o primeiro momento, os jovens fizeram uma visita guiada pela filial Contagem, passando pelas diversas áreas. Durante as atividades, cada um foi apresentado ao seu tutor e área na qual será alocado. “O tutor é o colaborador responsável por acompanhar o jovem aprendiz nas atividades diárias, auxiliando em todas as dúvidas e possíveis conflitos que possam ocorrer”, esclarece Nayara.

Com mais de dez anos de envolvimento com o programa Jovem Aprendiz, os líderes do Grupo Sotreq reconhecem o peso dessa iniciativa no processo de desenvolvimento pessoal e profissional. “Fica muito evidente a transformação deles em questão de postura, linguagem e conhecimento, características que foram moldadas e construídas ao logo do programa. Muitos gestores comentam sobre como os jovens entraram ‘crus’ e depois foram efetivados. A Sotreq reconhece e valoriza o aprendiz que busca crescer, se envolver nas atividades. Por isso, os gestores sempre tentam aproveitá-los após o término do programa”, garante Nayara Pereira.

O programa Jovem Aprendiz é a porta de entrada para o mundo corporativo, especialmente para uma parcela da população com mais dificuldades para encontrar oportunidades. “O setor de Recrutamento e Seleção faz o acompanhamento dos jovens durante o programa, juntamente com a instituição de ensino, com o intuito de proporcionar o melhor e realmente desenvolvê-los. Nosso interesse não é cumprir uma cota, mas, sim, auxiliar na formação de grandes profissionais, principalmente, jovens que chegam de um contexto de vulnerabilidade, que poderiam ter dificuldades de ingressar no mercado de trabalho, devido a poucas oportunidades. Estou muito satisfeita com a turma que iniciou e só tenho escutado elogios”, completa a analista de seleção.

 

RESPONSABILIDADE SOCIAL