Laboratório S.O.S da Sotreq inicia análise de diesel

Laboratório S.O.S da Sotreq inicia análise de diesel

Serviço garante mais desempenho e maior vida útil do equipamento; óleo passa por sete testes até ser analisado por especialistas

 

O bom funcionamento do motor tem uma relação direta com a condição do diesel utilizado. Ou seja, o combustível de boa qualidade não deve conter a presença de contaminantes (substâncias que, com o tempo, atrapalham o desempenho) e água, por exemplo.

 

Além disso, os teores de enxofre e biodiesel devem estar adequados à legislação. Se tudo correr bem, haverá o aproveitamento máximo de desempenho e da vida útil de bombas, bicos e unidades injetoras de equipamento.

 

A questão é: como saber se tudo isso está em ordem? Para atender essa necessidade e garantir o máximo de retorno da máquina, a Sotreq acaba de acrescentar ao seu portfólio a análise de óleo diesel.

 

Em resumo, o serviço funciona por meio da coleta periódica de amostras, que são enviadas ao Laboratório S.O.S Sotreq, localizado em Contagem (MG). Trata-se do maior, mais moderno e completo laboratório no ramo de análise de óleo lubrificante e de líquido de arrefecimento da América Latina.

 

“Não é uma análise da marca do produto, mas da condição do combustível para operação da máquina, ou seja, ela verifica eventuais desvios nas características físico-químicas do óleo diesel, contaminações por partículas ou água, e se teores de biodiesel e enxofre estão dentro das especificações informadas pelo cliente”, afirma Wildney Silva, Consultor de Vendas do Laboratório S.O.S Sotreq.

 

A análise de partículas presentes no diesel auxilia os técnicos a definir a condição do sistema de injeção do equipamento e também um conjunto mínimo de elementos aditivos esperados no diesel, suportando, assim, as decisões gerenciais de manutenção dos sistemas de injeção.

 

Trajeto da amostra

Em primeiro lugar, é necessário retirar a amostra do equipamento. “Ela pode ser executada pelo próprio cliente e, para isso, fornecemos um treinamento com duração de duas a três horas, que pode ser online ou presencial na Sotreq ou no próprio local de operação do cliente”, explica Raquel Cunha, coordenadora do Programa SOS.

 

A amostra precisa conter dados de identificação, como série e frota de origem. Em seguida, é enviada para o laboratório. Lá, passa por sete tipos de testes. O resultado leva, em média, 96 horas para ser concluído e é disponibilizado no SotreqLink e no SOS Web, ambas com acesso pelo site https://www.sotreq.com.br.

 

Nessas ferramentas, estão disponíveis dados sobre os compartimentos, comparação de amostras, gráficos, entre outros recursos.

 

Análises do óleo diesel

De acordo com Silva, as amostras enviadas pelos clientes passam por diversos ensaios, todos conforme as normas internacionais.

 

Vale lembrar que elas devem ser colhidas diretamente do tanque dos equipamentos, “pois esse será o combustível consumido pelo motor e, portanto, influenciará na vida útil deste e de seus componentes”, acrescenta.

 

Também merecem atenção as amostras colhidas dos veículos de abastecimento, postos e tanques de armazenamento – com elas, é possível diagnosticar toda a cadeia de abastecimento de combustível do cliente.

 

Prova dos sete

Os ensaios que compõem a Análise de Diesel da Sotreq são:

 

  • Teor de Biodiesel: verifica-se se o diesel está com o percentual de biodiesel especificado pela legislação vigente;

 

  • Teor de Enxofre: mensura-se o teor de enxofre no óleo diesel e se ele condiz com o tipo de diesel informado pelo cliente;

 

  • Contagem de Partículas: averigua-se se o índice de contaminação do diesel está adequado ao especificado para o equipamento. Contaminações excessivas podem danificar os componentes do sistema de injeção, e devem ser motivo de estudo completo da cadeia de abastecimento e armazenagem de combustível;

 

  • Viscosidade a 40 graus: neste teste, a viscosidade é medida a 40 graus para verificar se o óleo diesel está conforme especificado na legislação vigente ou se está contaminado;

 

  • Cor: cada diesel tem uma cor específica. O teste ajuda a detectar se o combustível utilizado na máquina está de acordo com a sua especificação.

 

  • Água por Karl Fischer: verifica-se quantitativamente o teor de água presente no óleo diesel, substância extremamente prejudicial ao equipamento.

 

  • Análise de elementos de desgaste: traz informação da máquina ou o local onde está armazenado o óleo diesel. Com ela, é possível indicar a saúde do sistema de injeção e apontar as ações de manutenção necessárias, diminuindo custos e maximizando o uso do equipamento.

 

Última etapa

Depois de realizados os ensaios, os resultados são enviados a técnicos treinados e certificados em análise pela Caterpillar, que interpretam e liberam os resultados para o cliente acessar no SotreqLink ou SOS Web.

 

O Laboratório S.O.S é multimarca e possui mais de 35 anos de experiência em análise de fluídos de equipamentos Cat®, equipamentos similares e da indústria de forma geral.

 

“Nosso objetivo é agregar na manutenção preditiva do cliente, por meio da identificação antecipada de problemas que podem interferir na vida útil da máquina. Com isso, diminuímos tempo de parada, custos de manutenção e melhoramos seu rendimento”, conclui Silva. 

 

 

Comentar