CATERPILLAR LANÇA SÉRIES L E M DE CARREGADEIRAS DE RODAS

CATERPILLAR LANÇA SÉRIES L E M DE CARREGADEIRAS DE RODAS

 

Equipamentos se destacam por oferecerem uma série de benefícios, como maior potência e economia no consumo de combustível  

 

As novas Carregadeiras de Rodas Cat® de porte médio das Séries L e M foram planejadas para trazer diversos benefícios e tornar as operações mais produtivas. Os modelos Cat® 950, Cat® 962, Cat® 966 e Cat® 972 oferecem 10% de mais potência, 15% de economia no consumo de combustível e 20% de eficiência do litro de combustível. 

 

“Estamos sempre ouvindo as necessidades dos nossos clientes e esses novos equipamentos contam com recursos que foram pensados justamente para atender aos desejos deles. Trouxemos as principais solicitações, como redução no consumo e mais tecnologia embarcada. É uma resposta que estamos dando e a prova de que podem contar sempre conosco”, afirma Odair Renosto, Presidente da Caterpillar Brasil. 

 

Segundo Márcio Vieira, Gerente de Produtos da Caterpillar, as Séries L e M trazem das séries anteriores as caçambas de performance, que proporcionam mais enchimento. “Outro destaque é o sistema hidráulico com detecção de carga, que ajuda a salvar a queima de combustível em momentos onde não é necessário. Ou seja, se o operador não estiver usando a máquina, a rotação do motor vai diminuir”, explica 

 

As máquinas trazem o legado das outras séries, que começaram a ser desenvolvidas pela Caterpillar há mais de 60 anos. A principal diferença entre as Séries L e M é que a M oferece a possibilidade de operação por joystick, enquanto a L é operada com volante. 

 

Entre as vantagens dos equipamentos, está o sistema Lock Up Clutch, que transfere toda a potência do motor durante a troca de marchas, garantindo o travamento do conversor de torque e a máxima eficiência do motor. Além disso, a carga das máquinas foi redistribuída para ajudar na produtividade. A distância e a largura entre os eixos foram aumentadas para trazer mais equilíbrio durante a operação. 

 

A cabine foi remodelada e ganhou novo design para dar mais segurança e conforto ao operador. Com corrimãos adicionais, é totalmente envidraçada para dar maior visão e amplitude, além de câmera de ré, que permite maior controle do que está acontecendo ao redor da operação. Vale lembrar que todos os pontos necessários para fazer checagem ou lubrificação ficam no nível do solo com fácil acesso. 

 

Em vez de quatro motores, que eram utilizados até então, as Séries L e M contam com três motores, menores e mais potentes. Isso auxilia na economia de consumo de combustível, que varia de 10% a 15%, dependendo do tipo de operação. 

 

Os modelos Cat® 950 e Cat® 962 são equipados com o motor Cat® C7.1 ACERT, enquanto os modelos Cat® 966 e Cat® 972 possuem o motor Cat® C9.3 ACERT. A potência bruta máxima varia de 185 a 222 kW (252 a 298 Hp) e os pesos operacionais aproximados são de 19 mil a 25 mil quilos. 

 

Controle da frota

As máquinas das Séries L e M contam com sistema de pesagem desenvolvido e patenteado pela Caterpillar. Por meio do software VisionLink, é possível determinar quantas toneladas devem ser colocadas no caminhão. O operador gerencia o peso por meio desse sistema e sensores instalados no equipamento avisam quando o peso estiver dentro do programado. Esse sistema garante precisão de 98% nas informações. 

 

Vieira explica que as novas máquinas garantem a diminuição o ciclo da operação. Se antes o carregamento era feito em cerca de oito segundos, agora o processo é feito pela metade desse tempo. Antes de serem apresentados ao mercado, os novos equipamentos passaram por testes com 22 pilotos do mundo inteiro, totalizando mais de 10 mil horas de operação com as máquinas.  

 

“Reduzimos a quantidade de peças em 30%, o que ajuda a manter a frota e diminuir o custo de operação. Todos esses diferenciais saem de fábrica, não é preciso adquirir nada como adicional. A consequência disso tudo é o melhor retorno de investimento: potência, economia de combustível e eficiência do litro de combustível. Tudo em um único equipamento”, afirma. 

 

Comentar