15 dicas sobre o uso de pneus em máquinas de grande porte

15 dicas sobre o uso de pneus em máquinas de grande porte

Elas são essenciais para não atrapalhar a produtividade do equipamento e até evitar o maior gasto de combustível

 

Os pneus têm função importante para o bom funcionamento do equipamento. Por exemplo: se forem de tamanho e modelo errados, podem gastar mais combustível e até interferir na produtividade na máquina. Para falar sobre o assunto, a ELO NEWS entrevistou Ramon Noé, Especialista de Produto da Sotreq e preparou 15 dicas sobre o uso de pneus em equipamentos de grande porte. Confira:

1. De modo geral, os pneus trazem nos flancos dados sobre o produto, como números que indicam as medidas da largura nominal da seção, diâmetro interno, série ou perfil (especificados em milímetros e em polegadas).

 

2. Também é possível encontrar o nome do fabricante, modelo de acordo com o desenho da banda de rodagem, matrícula, pressão de inflação a frio e carga.

 

3. Pneus com menores índices de proteção (menos borracha) são indicados para obras que exigem velocidade ou tração.

 

4. Além disso, esses modelos podem percorrer grandes distâncias no local de trabalho, já que dissipam melhor o calor – a temperatura alta é um dos principais agravantes para o desgaste dos pneus.

 

5. Pneus com maiores índices de proteção (mais borracha) são recomendados para movimentação de grandes cargas e locais com alto risco de corte ou perfuração, como operação no pé da rocha (realizada em pedreiras).

 

6. Devem ser utilizados em ambientes que exijam menor velocidade, pois podem sofrer aquecimento excessivo e, com isso, provocar o aumento significativo do desgaste da banda de rodagem e até mesmo de sua carcaça.

 

7. A aquisição de um produto errado ou mesmo mal ajustado pode interferir na estabilidade das máquinas, principalmente no caso de adaptações com medidas desiguais das indicadas pelo fabricante.

 

8. Atente-se ao peso do equipamento e à carga sendo movimentada para definir a calibragem dos produtos.

 

9. Ela deve ser ajustada de acordo com o modelo e fabricante do pneu – existem opções com medidas iguais, entretanto, com capacidades de cargas diferentes.

 

10. Jamais monte um jogo com dois tipos de pneus (radial ou diagonal) no mesmo eixo. Isso prejudica os diferenciais e/ou comandos finais do equipamento.

 

11. Os pneus diagonais têm diversas camadas de lonas têxteis cruzadas em sentido diagonal, tornando a lona carcaça uma peça monobloca. Essa peça, de acordo com a carga, tem o contato da banda de rodagem variável, deixando de usar toda a energia recebida pelo trem de força.

 

12. No caso do radial, a carcaça é feita com uma única lona de cabos de aço no sentido radial e depois recebe camadas de lonas de proteção e trabalho somente na área da banda de rodagem, isso mantem a banda de rodagem 100% do tempo em contato com o solo usando toda a energia gerada. Promove uma excelente tração, desgaste inferior e significativa economia de combustível.

 

13. Ambos podem ser utilizados em qualquer tipo de máquina, porém, as melhores performances são alcançadas com pneus radiais.

 

14. É importante salientar que os pneus radiais também podem passar por recapagem (reforma), porém, como sua durabilidade por vida é maior, menos intervenções serão necessárias.

 

15. Assim como em automóveis, é indicado realizar rodízios periódicos para garantir um desgaste uniforme entre todos.

Comentar